Porquê as pessoas ficam decepcionadas com câmera nova

Está pensando em comprar uma câmera nova? Veja os quatro motivos que as pessoas mais se arrependem depois de colocar a mão no bolso e veja como contornar. ( A quarta é tão comum que é quase um clichê)

Está pensando em comprar uma nova câmera? Nossa equipe de redação separou uma lista com 5 decepções mais comum para o fotógrafoa de primeira viagem!

1) Não conseguir usar determinado recurso

O vendedor da loja, com suas motivações mais puras, mostra mil e uma função do brinquedo novo. Dupla exposição, foco manual, slowmotion, timelapse, etc.

 

Daí o novo aspirante a fotógrafo chega em casa, e mal consegue acionar o flash. São tantos botões e tantas funções mas não consegue nem faz o básico.

 

É verdade que as câmeras cada vez tem uma tecnologia mais avançada. Isso é muito bom, mas da mesma forma, quem usa elas tem que se atualizar.

 

Para fazer valer a pena o investimento ao máximo, conhecer e usar todos os recursos de sua câmera é importante. Muitos até trocam de equipamento e mal sabiam que poderiam ter o mesmo resultado com o equipamento antigo.

A solução? Estude fotografia!

 

2) Continuar fazendo fotos medianas

Em pleno século 21 tem gente ainda que acha que equipamento faz o fotógrafo. Daí a pessoa vai lá, compra um celular ou câmera melhor e acha que suas imagens vão automaticamente ficarem boas. Um bom motorista dirige bem qualquer carro! Se você entender de fotografia, a câmera vai diferenciar apenas a qualidade da imagem e da impressão. A qualidade da foto é proporcional a habilidade do fotógrafo.

Fotografia criativa da noiva com luzes
Foto de Klarck Lansing, premiada na Bride Awards 2015

É verdade que mais recursos facilitam a fotografia e o dia-a-dia do fotógrafo, mas não são essenciais. No passado os grandes fotógrafos usavam câmeras que hoje são ultrapassadas, mas mesmo assim poucos se comparam a Cartier-Bresson, Robert Capa ou Ansel Adams.

A solução? Estude fotografia!

 

[mc4wp_form id=”1058″]

 

3) Peso e tamanho

Geralmente, quem está iniciando na fotografia acaba comprando os maiores equipamentos por acharem que serão os melhores. E é verdade que algumas câmeras e lentes são cheias de recursos e funções, e acabam se tornando grandes e pesadas. Pense carregar 2kg ou mais de equipamento em uma viagem ou passeio.

 

Pode acabar se tornando um transtorno. Grandes fotógrafos utilizam para trabalhar muitas vezes um equipamento pequeno e prático, pois sabem extrair o máximo dele. As vezes, você pode fazer algo muito melhor com um equipamento mais simples.

adult-blur-camera-225227.jpg

Cada vez mais o mercado das câmeras mirrorless cresce. Elas são leves e compactas e não perdem para as DSLR de ponta.

A solução? Estude fotografia!

 

4) O superzoom da câmera fica em péssima resolução

Talvéz você ja tenho visto algum video ou gif do poder de zoom de algumas câmeras, principalmente das semi-profissionais. O que acontece é que a qualidade dessas câmeras, depois de uma certa distância focal começa a reduzir drásticamente. Muitos se frustram por isso.

O que na verdade acontece é que a maioria das pessoas não sabem que existem dois tipos de zoom: o zoom digital e o zoom óptico. Podemos comparar o zoom óptico com um binóculos. O jogo de espelhos e esferas ópticas transforma a lente numa espécie de telescópio e podemos fotografar a grandes distâncias sem perda. Mas esse zoom tem um limite. Quando acaba o limite desse zoom “verdadeiro”, começa o zoom “falso” – o digital.

 

Ele simula um zoom maior, mas é como quando abrimos uma imagem no celular e damos zoom. Os pixeis pequenos cada vez se tornam maior e maior, por isso vamos perdendo resolução.

 

Para evitar esse tipo de problema, você já sabe a solução né? Estude fotografia!

 

 

Conclusão: o que faz o fotógrafo não é a câmera, mas como ele usa seu equipamento. Pesquise e entenda sobre câmeras antes de comprar.

Câmeras e Lentes! Os cuidados que ninguém te contou!

As dicas que ninguém te deu sobre cuidados com câmeras e lentes. Fique atento a perigos como clima, fungos, riscos e roubos.

Uma vez fui fazer um trabalho de comercial para uma produtora, e antes de iniciar o serviço meu equipamento não ficou bem engatado em um dos equipamentos, minha principal e mais cara lente caiu no chão, amassou e estragou o foco. Fiquei um mês sem poder usar ela, esperando peças para conserto, e gastei 3,5x o que ganhei naquele serviço para fazer a manutenção. Foi trágico!

Gastar tanto dinheiro com equipamento fotográfico e depois danificar ele por falta de cuidado seria trágico. Com certeza você deseja conservar pelo maior tempo possível seus equipamentos, por isso separei algumas dicas que ninguém te conta sobre como cuidar bem de seus equipamentos.

Cuidado, acima de tudo, com QUEDAS!

A maior causa dos problemas com câmeras e lentes são os impactos físicos, como quedas e batidas. Inclusive as bolsas próprias para fotografia já vem com uma espuma anti-impacto, para proteger seu equipamento o máximo possível.

Claro que boas câmeras, principalmente as profissionais são resistentes. Por exemplo, a Canon tem duas câmeras que são muito forte, com corpo em magnésio, que são muito resistentes a quedas e temperaturas, e seladas contra água.(Canon 1Dx e 7D Mark2). Mas seu valor é mais alto que as semelhantes sem essa proteção extra.

Para evitar isso, quando a gente compra a câmera já vem uma alça que podemos pendurar no pescoço. Algumas menores prende no pulso também. Para quem já é profissional, a escolha mais pedida são as alças e cintos. Mas quem avisa amigo é: compre as melhores e mais caras, e se certifique da proteção. Já tive problema com cintos frágeis, não economize com isso.

spiderpro.jpg
Foto: Spider Holster

Outra coisa que ajuda na proteção é o para-sol. Seu objetivo é outro, mas se a câmera cair e você tiver sorte de ser de frente, quem vai quebrar é ele e não sua preciosa lente (ou pior ainda, o vidro da lente)

[mc4wp_form id=”1058″]

 

Cuidados com elementos da natureza

Água, areia, poeira, calor. Esses são alguns dos perigos para seu equipamento. Se possível, invista em câmeras e lentes seladas contra água. Elas não serão a prova d’água, mas se você pegar uma chuva fará muita diferença. Outro perigo é quando fotografamos na praia. Eu prefiro levar duas câmeras e apenas duas lentes e não trocar na praia, pois a combinação de vento com areia não é tão legal para a câmera quando a gente troca de lente.

Também, armazenar ela em um lugar muito quente pode derreter componentes da câmera. Tenho um amigo que passou por isso, derreteu dois botões de sua câmera. Ele guardava em um local muito próximo de uma lâmpada.

Cuidados com riscos

Riscar sua lente seria trágico, por isso uma opção é usar um filtro UV. Mas se optar por usá-lo, compre um de boa qualidade (em outras palavras, o mais caro)
Eu não gosto de usar ele porquê embaça entre ele e a lente em locais muito quentes ou úmidos, o que é muito comum onde moro. Mas, dependendo do seu uso eu recomendo sim.

 

Continue no Blog:

Cuidados com fungos

Essa é uma das maiores preocupações dos fotógrafos, os temidos fungos. Se sua lente pegar fungo, provavelmente você não vai conseguir arrumar ela. E isso não é incomum de acontecer.
Mas para gente saber como se proteger dos fungos, precisamos entender como eles se criam. Basicamente, para viver os fungos precisam de escuridão e umidade. Em um local claro e seco eles não se proliferam. Ou seja, deixar dentro da bolsa num período chuvoso poderá trazer problemas. Talvez você possa usar uma caixa com ventilação e entradas de luz. Também usar algum tipo de anti-mofo, desses que sugam a umidade, me ajudou no início.

Hoje eu tenho um cofre chaveado com revestimento em madeira impermeabilizada e luz incandescente, pois ela é quente. Nunca tive problemas com fungo, e sugiro o mesmo para você. Gastei aproximadamente R$500 para confeccionar ele; e o melhor é que ele é parafusado na parede, o que traz mais segurança.

Lente sendo segurada

E ainda mais, cuidado com roubos!

Claro que de nada adianta todos os cuidados acima descrito se alguém furtar ou assaltar você. Todo cuidado é pouco!

Você já percebeu quanto dinheiro tem dentro de uma mochila fotográfica? Os assaltantes também. E é muito fácil de sair com uma na multidão sem ser percebido – é apenas uma mochila.

Por isso, tome extra cuidado. Se necessário, leve gente extra em sua equipe para um ensaio fotográfico ou evento. Cinco ou seis pessoas envolvidas em uma sessão de fotos inibe mais os assaltantes que duas ou três. Talvez, locais que cobram entrada ou para fazer fotos tem segurança extra e pode valer a pena.

Cuidado na saída de eventos e em onde você deixa sua mochila enquanto não está usando.

 

Bônus: Seguros fotográficos!

Já pensou em procurar alguma corretora de seguros? Algumas seguradoras (como a Porto Seguros) oferecem planos de cobertura muito bons para fotógrafos. Você inclusive pode incluir coisas como cartões de memória e baterias.

Pagando uma taxinha extra, você pode se segurar contra quedas e panes elétricas, e pode estender a cobertura internacionalmente. Geralmente o valor desses seguros custam entre 5% a 8% do seu equipamento.

Tem algum outro medo? Ou quer compartilhar alguma dica? Deixe aqui embaixo seu comentário.

 

Compartilhe com seus amigos esse post clicando nos botões abaixo.

Desfoque em fotos, Como o Iphone cria este efeito?

Como a câmera dupla do iPhone é capaz de produzir um efeito tão preciso de desfoque? Entenda como esse algorítimo funciona, e de bônus te mostro 4 aplicativos para simular esse efeito!

Você provavelmente já sabe o que é, mas antes de responder essa pergunta deixa eu explicar tintin por tintin o que é o esse efeito Bokehsignifica, em Japonês, borrão ou mancha. Ou seja, o famoso “fundo desfocado”.

Esta é uma técnica muito utilizada pelos fotógrafos profissionais para enfatizar a pessoa e criar um efeito artístico na fotografia.

Cada vez mais essa técnica têm caído no gosto popular, e a Apple não perdeu a clientela: inventou um sistema com uma câmera dupla que SIMULA o efeito bokeh. É interessante ressaltar que o iPhone (e outros celulares similares, que vieram depois) não cria esse desfoque, mas ele simula.

Isso porquê, mesmo com uma câmera profissional, o você não vai conseguir um desfoque tão grande com uma grande angular. Lentes como a 85mm ou a 70-200mm são as mais indicadas para esse tipo de efeito. Mas como pode então, um celular, com uma câmera de 24mm criar esse efeito?

 

[mc4wp_form id=”1058″]

Entendendo a diferença

Primeiro, para vermos a real diferença, veja duas fotografias feitas com uma câmera profissional e uma lente 85mm.


Agora, vamos ver algumas fotografias com o efeito Bokeh da câmera dupla do iPhone (modelos 7 plus em diante)

berryios11-iphone8-camera-portrait-mode.jpg

 

Você conseguiu ver a sutil diferença? Calma, agora você vai poder realmente entender isso com essa explicação que eu achei na internet (clique aqui).

 

Como é feita? Simples…

A fotografia clicada no modo retrato é na verdade o resultado de duas imagens, feita com duas câmeras, mas com uma diferença milimétrica. Com isso, temos duas fotos. Esse é o primeiro passo. Além disso, é feito um mapeamento tridimensional do ambiente da imagem e criando assim um segundo mapa da profundidade de campo.

 

Com essa tecnologia, o telefone inteligente da Apple consegue diferenciar o que é o ponto principal (focado) e o que é o plano de fundo (desfoque).

 

Com essa informação, o telefone consegue aprender o que é cada coisa e evoluir por si só: o chamado learning machine. Esse software que é quase uma inteligência artificial, percebe ao comparar as duas imagens, quais são os pontos idênticos e assim obter uma planta de disparidade – obtendo assim a diferença do plano de fundo de cada imagem.

O algoritmo compreende o que deve priorizar (o assunto em foco), e então desfoca o fundo da imagem, borrando todos os detalhes visíveis com as duas imagens. Pense em você colocar dois óculos de grau, com diferença de alguns milímetros. Você vai ter uma imagem borrada – assim como as duas lentes do iPhone criam.

 

Veja a sequência de imagens a seguir para compreender todos esses passos!

01.png
Primeiro passo é apontar as duas câmeras para o assunto.
02.png
Então, os algoritmos vão trabalhar para identificar os pontos semelhantes nas duas imagens.
0
Logo após, é criado uma mapeamento tridimensional de cada assunto e objeto da cena
04.png
A mesclagem das duas imagens com diferença de milímetros gera um efeito de borrão que simula o bokeh da câmeras
05.png
E para finalizar, ele apaga o borrão duplo do assunto que foi identificado como principal – mas permanece o borrão do resto.

E o mais incrível é pensar que todos esses efeitos são gerados rapidamente, com uma precisão incrível. Claro que não se compara ao efeito de uma câmera profissional, mas é um grande passo para a fotografia portátil!

 

Continue no Blog:

Aplicativos para Desfoque!

Mas, e se você não tiver um iPhone ou celular com câmera dupla? Então poderá usar algum aplicativo para simular esse algorítimo do iPhone e obter um resultado semelhante. Por exemplo, veja algumas opções que segundo a Editora Abril:

 

 

1. Big Lens

O aplicativo, disponível tanto para aparelhos com sistema Android quanto para iOS, infelizmente é pago, mas garante uma desfoque de câmera profissional. Mas ele custa pouco mais de R$2, e conta com nove filtros e opção de quanto desfoque você deseja. Dá também para selecionar manualmente o que você quer desfocar e o que quer destacar. Uma boa opção para você que não se importa de desembolsar alguns “pilas” (como dizemos aqui no sul) para ter um aplicativo de qualidade.

 

2. Fabby

Gratuito, o aplicativo também garante um bom desfoque de fundo. O efeito Bokeh (que imita o modo Retrato) é o mais utilizado. Mas, além dele, é possível incrementar as imagens com filtros de cor e enfeites. O desfoque também tem diferentes tipos de intensidade: suave, médio e forte. Uma boa aposta! Como é gratuito, você pode testar e, se não gostar, excluir depois.

 Teste do Fabby.

Teste do Fabby. (Reprodução/Reprodução)

3.  FabFocus

Disponível apenas para iPhones a partir do modelo 5, o aplicativo custa cerca de R$ 10 e garante um desfoque tanto automático quanto manual. Se a ferramenta não conseguir identificar os rostos nas fotos para destacar, você pode fazer isso com os próprios dedos. É uma das opções mais práticas da lista, mas não a mais profissional ou eficiente.

 

4. Tadaa SLR

O app está disponível apenas para iOS, mas existe uma alternativa, chamada Blur Image, para Android. A segunda opção é gratuita, mas a primeira custa cerca de R$ 15. O Tadaa é um pouquinho mais eficiente que o FabFocus e garante um efeito mais parecido com o modo Retrato do iPhone 7 Plus. O aplicativo também é mais completo e tem, além de várias opções de desfoque, filtros e efeitos para ressaltar a imagem.

 

Já usou algum desses aplicativos? Comente aqui embaixo o que achou!

Fonte