Erros mais Comuns em fotografias – Evite-os

Quando começamos, é natural errar. Grandes nomes como Jobs, Zuckerberg e Musk erraram em seus começos. Mas, o segredo está em aprender se seus erros. Copilei sete dos meus maiores pecados empresariais em oito dicas super úteis!

Errar no inicio é normal, é ordinário. Faz parte do amadurecimento. Mas, evitar esses erros pode ser EXTRAORDINÁRIO!

Quando eu comecei, errei muito. Foram erros atrás de erros, e talvez se tivesse acertado não chegaria onde cheguei hoje.

Errar faz parte da nossa trajetória. Todas as histórias de sucesso (Steve Jobs, Mark Zuckerberg, Elon Musk) tem fracassos e derrotas no começo. Normal. Triste, mas normal.

Por isso, copilei meus 7 piores erros em 8 dicas incríveis!

 

Erro #1 – Comprar equipamentos que não precisava

Esse erro é clássico. Muitos cometem esse equívoco, e eu não me escapei.

Lembro de uma vez que comprei um grip para uma câmera, só que na verdade eu nem precisava e acabei nunca usando.

Erros de comprar equipamentos desnecessarios

É normal o pessoal comprar coisas que acham bonitas, mas não precisam. Ou dizem que é necessário, mas não sabe o motivo.

Esse dinheiro é mal investido, e vai fazer falta la na frente.

 

Erro #2 – Fazer pouco Marketing, ou Marketing Errado

Divulgar seu trabalho como fotógrafo é essencial. Mas, por incrível que pareça, muita gente não faz isso.

Eu sempre tive a consciência de que é importante fazer Marketing. Mas eu fiz, por muito tempo, de um modo errado.

A primeira dica que dou, é gastar dinheiro. Não adianta querer fazer Marketing sem gastar, ou tentar economizar.

Tenho o conceito que tráfego se compra. Por isso, sugiro você entender melhor sobre o funil de vendas.

A segunda dica tem a ver com a qualidade do Marketing – faça conteúdo. Treine e ensine seu público, mostre porque é importante!

Erros de não fazer marketing

 

Erro #3 – Fotografar pouco

Um segredo essencial: treinar descaradamente.

Quando comecei pensava que tinha que fotografar só quando fosse contratado, mas isso limitava minha evolução.

E, mesmo quando ia fotografar, acabava fazendo poucas fotos. Fazer 200 ou 300 fotos num ensaio é muito pouco. Assim, você vai demorar para evoluir.

 

Outros assuntos que podem te interessar:

 

Lembra que Cartier-Bresson dizia que suas dez mil primeiras fotos são as piores? Quanto tempo você vai levar para fazer essas dez mil? E cem mil?

Quanto mais fotografar, mais rápido vai evoluir.

 

Erro #4 – Não investir dinheiro

Muitos não entendem o que vou dizer agora (inclusive, eu demorei anos para assimilar isso)

 

Um empresário precisa investir dinheiro em sua empresa

 

Claro, no geral começamos a empresa de fotografia com uma ou duas pessoas. Mesmo assim, é uma empresa.

Divida seu orçamento em Equipamentos, Conhecimento, Marketing e Infraestrutura. Priorize, no começo, o conhecimento.

Colocar dinheiro na frente, é importante. Mas veja bem: colocar dinheiro em sua empresa. Muitos investem 85% do seu orçamento em equipamentos – algo que não traz um retorno definido. Em cinco anos de profissão, jamais fui contratado ou perdi uma venda por meus equipamentos. Mas minha gestão, meu Marketing, meu atendimento, minha infraestrutura e o que eu entrego (capacitado por possuir conhecimento), isso sim fez – e muita – diferença.

 

Erro #5 – Não ter uma rede de Networking

Até hoje, essa é uma das minhas maiores dificuldades.

Conhecer pessoas que conhecem pessoas. Isso é Networking. Numa tradução livre, uma rede de trabalho, é aquela que somos amigos e temos amigos dentro do ramo empresarial.

Não estou falando de tomar cerveja ou comer churrasco com seus clientes e/ou fornecedores.

 

 

Falando em Networking, entra para o meu:

[mc4wp_form id=”1058″]

 

 

Mas sim, conhecer seus concorrentes, ter estima por seus fornecedores e saber quem são os fornecedores de seus concorrentes.

Conhecer quem faz o que, na sua área e em outras. Você fotógrafo: tem uma rede de parceria (seja apenas para indicação) de videomakkers, cerimonialistas, decoradores, iluminadores, maquiadoras ou aluguel de espaço para gravações?

 

Erros de não fazer networks

 

As vezes, mesmo que isso não esteja diretamente ligado a sua profissão, pode fazer a diferença ao oferecer (e assumir) um projeto maior!

 

Erro #6 – Ter inspiração pontual

Esse erro é muito comum: sou fotógrafo de casamentos, por isso vou olhar apenas fotos de casamentos para me inspirar. Assim, você acaba se tornando um imitador e não um criador.

Se inspire em outras áreas. Fotografias do outro canto do mundo é facilmente achada com as redes sociais e internet hoje.

 

Pergunte-se:

  • O que eu posso aprender sobre iluminação com desenhistas e pintores?
  • Como posso replicar certas poses de esculturas famosas?
  • Como a música que ouço influência minha fotografia?
  • Quais ângulos de câmera posso imitar do último filme que vi?
  • Qual revista de moda, gastronomia, veículos, viagens e artesanato podem me inspirar?
  • Quais os 10 melhores arquitetos eu conheço?

 

Uma forte ferramenta para gerar novas inspiração é o Pinterest. Lá, você pode ver novidades e tendências, como um baú de ideias.

Utilize outros segmentos da fotografia para se inspirar.
Aprenda de outros assuntos (como pintura, música, arquitetura e belas artes) e traga isso para sua fotografia – e principalmente para sua vida!

 

Erro #7 – Não fazer planilhas

Isso pode até parecer bizarro, mas um bom fotógrafo faz planilhas, sejam no papel ou digital. Elas podem ser feitas no Excel, no Numbers ou no Google Docs. Eu prefiro o último.

Isso porque eu estou pressupondo que você é um empreendedor, um profissional liberal. Muitos acham que, por ser “liberal”, posso fazer de qualquer jeitos. Mas metrificar é importante, e eu demorei uns 5 anos para entender isso.

 

Erros de não fazer planilhas

Por exemplo, como você vai saber se sua empresa está em ascensão ou queda? Qual foi o melhor mês do ano? Esse ano foi melhor que o último? Isso tudo é importante para se organizar.

Muitos dizem : “Ahhhh mas eu estou apenas no começo!” Então agora é a melhor hora de começar a criar planilhas de custos, de orçamentos x conversões (ou seja, quantos orçamentos você recebe por dia/semana/mês/ano e quantos convertem – fecham contrato com você)

 

Dica #8 – Vá em Congressos de Fotografia

Esse último acho que é mais uma dica mesmo que um erro, porque eu sempre tive – desde o início – o conceito da importância de investir em conhecimento.

Por exemplo, fiz muitos Workshops Presenciais e Cursos On-line (assim consegui obter a parte técnica com maestria).

A vantagem dos Workshops Presenciais é que você vê, na prática, todo o processo criativo da pessoa. Sentimos o “clima” do Estúdio, de onde ela mora, e muitas vezes acabamos tendo a oportunidade de fazer um happy hour – onde surgem novas redes de Networking e Insights. Isso dá um rumo muito bom no começo, e me ajudou muito a fazer ajustes finos depois de um tempo. Pode ser perigoso, pois temos a tendência de copiar.

Erros de não ir em congressos
Meu amigo, Nei Bernardes, palestrando no Wedding Brasil 2018

Já os Cursos On-line são os mais vantajosos, pois tem um valor baixo e você pode ver e rever várias vezes, fazer perguntas, participar de um grupo muito maior de alunos. Também, é possível aprender no seu próprio ritmo e horários – o que eventos presenciais não permitem. Assistir aulas em casa sempre é mais confortável. Para isso, recomendo este curso aqui!

Mas Klarck, não ia falar sobre congresso de fotografia?

Calma, vou chegar lá!

Enquanto os cursos servem para te ensinar a parte técnica (equipamentos, lentes, truques) os congressos servem para te inspirar (dar novas ideias, trocar contatos)

Então, se você está começando, faça cursos. Se já tem experiência, vá em congressos.

Vou te falar alguns dos mais conhecidos, não fui em todos ainda, então não tem como qualificar cada um.  Mas são alguns congressos importantes no País

  • Wedding Brasil
  • Photoweek
  • Fotoconhecimento
  • PIC
  • FHOX on the road
  • Alasul
  • Parati em foco
  • Lume Newborn
  • Congresso Capixaba de Fotografia
  • Newborn Lovers

 

E aí, gostou do conteúdo? Não esquece de deixar seu comentário ali embaixo!

 

 

Faculdade De Fotografia – Vale A Pena

Antes de te responder, deixa eu te fazer outra pergunta: Você quer ser fotógrafo ou diretor de fotografia?

Você quer ser fotógrafo ou diretor de fotografia?

 

Vejo muita gente empolgada em fazer faculdade de fotografia para se tornar um fotógrafo. Será que essa é a melhor decisão?

Na verdade, muitas pessoas confundem o trabalho de um diretor de fotografia com o trabalho de um fotógrafo. São coisas completamente diferentes – até porque, na grande maioria, diretores de fotografia não trabalham com fotografia, e sim com video!

Então, antes de te responder, você vai precisar entender a diferença.

 

Diretor de fotografia:

diretor de fotografia é o técnico de cinema responsável pela forma como o roteiro cinematográfico é organizado para o video, na forma de fotografia. A produção é feita segundo as suas orientações técnicas.

 

 

O diretor de fotografia é o técnico que vai decidir, num filme, onde as luzes serão posicionadas (e qual a temperatura de cor delas). Questões técnicas, como a lente, a câmera e o ângulo utilizado por elas também são decisões deste profissional.

faculdade de fotografia

Geralmente o diretor de fotografia também cuida do enquadramento, e muitas vezes comanda equipes gigantescas! Figurinista, iluminador, maquiador, operador de câmera e outros estão sob a supervisão deste.

Alguns exemplos de diretores de fotografia são: Emmanuel Lubezki (Birdman, Gravidade e O Regresso), Robert Richardson (Django Livre, Ilha do Medo e Bastardos Inglórios) e Bruno Delbonel (O Fabuloso Destino de Amélie Poulain e Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum)

 

Nesse caso, é super recomendado que você faça uma faculdade de fotografia!

 

Isso porque, primeiramente, sem um diploma você provavelmente não vai ser contratado para uma produção maior. Ou você acha que a Marvel, a Rede Globo ou a Disney contratam Freelancer? Grandes empresas vão exigir um (ou mais) diplomas. Nesse caso, também sugiro que você seja fluente no Inglês, ou muitas portas poderão se fechar.

Sem contar que, por conta própria, vai ser muito difícil aprender tudo que um Diretor de Fotografia tem de saber.

 

 

Com certeza você também vai gostar:

 

 

Fotógrafo

Fotógrafo é o profissional que elabora imagens estáticas ou dinâmicas em diversos campos, como: eventos sociais, moda, esporte, guerra e fotojornalismo.

Se você acompanha nosso Blog, acredito que seu objetivo é ser um fotógrafo: assim como eu sou. Quem gosta de tirar fotografias, é o fotógrafo.

Nesse caso, você provavelmente se decepcionaria extremamente com uma faculdade de fotografia. Isso porque, os alunos deste curso aprendem muito mais sobre filmes do que sobre fotografias de casamento, guerra, moda ou produtos, por exemplo.

É claro que quem cursa faculdade de fotografia também é capaz de criar boas imagens, mas esse não é o foco da faculdade!

Por exemplo, você sabia que uma pessoa formada em arquitetura pode dar aula de matemática no Ensino Fundamental? Mas, da mesma forma, esse não é o objetivo!

faculdade de fotografia

Existem diversas áreas que um fotógrafo pode atuar, como por exemplo:

  • Estúdio Fotográfico: Fotografando ensaios de Pessoas e Produtos, Editoriais de Moda
  • Banco de Imagens: Vendendo de fotografias de paisagens, pessoas, objetos e animais
  • Eventos Sociais: Cobrindo casamentos, aniversários, eventos empresariais
  • Agência de Marketing: Auxiliando nas campanhas publicitárias
  • Papparazzi: Registrando e vendendo para revistas detalhes da vida dos famosos
  • Fotojornalismo: Estando a frente das noticias, registrando e vendendo para jornais, revistas e sites estas imagens
  • Esportes: Alguns fotógrafos registram eventos como Copa do Mundo, Olimpíadas, Maratonas e Campeonatos
  • Secretariado: Acompanhando, como um funcionário, um artista ou político famoso, registrando os eventos de sua agenda.
  • Arquitetura: Auxiliando Corretores, Incorporadoras e Construtoras a divulgar imóveis e lançamentos

 

 

[mc4wp_form id=”1058″]

 

 

Lógico que aqui se encontram apenas algumas das áreas. São muitas as opções!

Vão me contratar sem Diploma?

 

A resposta, curta e sincera é: SIM! Em todos esses anos, jamais alguém me perguntou por currículos ou diplomas. O que vale é a sua fotografia.

faculdade de fotografia

Se suas fotos forem incríveis, vai ser o suficiente para você ser contratado. Ou você imagina uma noiva abrindo um e-mail e lendo currículos de fotógrafos?

Seu portfólio, ou seja, seu trabalho é seu diploma.

 

Então, como aprender fotografia?

Existem muitos métodos de aprender fotografia. O melhor é praticar. Treinando seu olhar, se inspirando e fotografando pelo menos 30 minutos por dia você vai se transformar num fotógrafo.

Eu tenho algumas sugestões que podem ajudar você a começar a aprender fotografia:

  • Videos no Youtube: Alguns canais dão dicas gratuitas de fotografia de um modo bem divertido. Sugestão de canal: Clique aqui
  • Livros: Ler vai ajudar você a evoluir pelo menos 4x mais rapidamente. Sugestão de leitura: Clique aqui!
  • Sites: O Blog do Lansing é, sem dúvida, o mais completo portal de fotografia do Brasil hoje! Continue no Blog para aprender mais.
  • Cursos: O jeito mais rápido e funcional de aprender fotografia. Minha sugestão: Clique aqui!

 

Mas, se você deseja realmente se tornar um fotógrafo, sem gastar muito e sem perder tempo, sua melhor opção é clicar aqui!

 

E você? Quer ser fotógrafo ou diretor de fotografia? Ainda pensa em fazer uma faculdade? Deixa seu feedback nos comentários, é importante!

Canon Fez Uma Série Hilária De Videos – #fotopata

Canon no Peru lança série de videos intitulada #fotopata e satiriza relação de muitos com a fotografia

Canon e uma série hilária

 

Canon, a fabricante de câmeras e lentes,  lançou no Perú uma série de videos com a temática #fotopata e tem conquistado algumas gargalhadas ao redor do globo. Isso porque essa série ironiza de modo exagerado a relação que algumas pessoas tem com a fotografia ou com seus equipamentos.

A série é em Espanhol e os videos são curtos. Infelizmente esses videos ainda não tem legendas. Mas mesmo se você não entende espanhol vai poder dar boas risadas. Confira:

 

1) Fotopata = Aquela Pessoa Que Tem Ciúmes Da Câmera

Essa esquete é para você que só falta se jogar no chão quando alguém pede para ver sua câmera.

 

2) Fotopata = Aquele Cara Que Namora Com Seu Equipamento

Jantar romântico, mas com quem? Principalmente quando é um equipamento novo!

 

3) Fotopata = Pessoa Disposta A Qualquer Coisa Pela Luz Perfeita

Se bobear, fica até na estrada sem ter o que comer. Já imaginou perder a golden hour?

 

 

Continue no Blog:

 

4) Fotopata = Para Quem a Fotografia É Diversão (ou até mais)

Para alguns, fotografar é que é a maior diversão! Como disse o poeta, “Quando você ama o que faz, não vai precisar trabalhar nenhum dia na vida”

 

5) Fotopata = Pessoa com reflexos sobrehumanos quando sua câmera está em perigo

Como eu costumo brincar enquanto fotografo: “Se acontecer alguma coisa comigo, salve primeiro a minha câmera!”

 

Lógico que tudo isso não passa de uma brincadeira, mas a Canon entrou num assunto que pode até incomodar alguns. Mas, deixando a velha “zoeira” digital de lado, os videos da fabricante foram muito bons.

Ah, se você gosta de video, precisa clicar aqui para se inscrever no Canal do Lansing no Youtube!

E aí, qual você mais gostou? Deixe aqui embaixo seu comentário!

3 Erros Comuns Em Casamentos (e como se preparar para fotografar apesar deles)

Se programe para evitar que esses três erros comuns atrapalhe o bom andamento do casamento e seu trabalho como fotógrafo!

A grande maioria das mulheres sonha com seu casamento desde pequena. Mas quando começa a organizar tudo parece que é tão difícil transformar em realidade cada detalhe. E no meio deste turbilhão de informações e gastos, as vezes coisas importantes passam despercebidas.

Separei 3 erros comuns das noivas que vi nos últimos cinco anos, e como você pode ajudar sua cliente a evitar eles!

(Geralmente pelo menos um deles acontece, e sempre acaba prejudicando o tempo dos ensaios fotográficos!)

Primeiro Erro: Horários!

Em algumas culturas, já é quase clichê a noiva se atrasar. Alguns convidados até esperam isso. Mas se você vai casar de dia, isso pode ser um problema maior.

Por quê? O sol não se atrasa!

Fotografia de casal caminhando

Por exemplo, suponhamos que no mês do casamento, escureça as 19:00, e a cerimônia dure uma hora e o casamento está marcado para as 17:45.

Se o horário for cumprido, a Cerimônia vai começar e terminar de dia. Mas se a noiva se atrasar 20 ou 30 minutos, já vai ser o suficiente para sua Cerimônia iniciar de dia e terminar de noite.

 

Como resultado as fotos e o vídeo serão prejudicados pela mudança de luz, a decoração e a maquiagem que foi pensada na luz do dia vai ser prejudicada pela falta de luz da noite.

Consequentemente, vai parecer dois casamentos no mesmo álbum, ou dependendo de onde for o casamento, vai parecer que a noiva entrou por um lugar (de dia) e saiu por outro (de noite). E a maioria das noivas não pensam nisso, é dever do fotógrafo orientá-la!

Claro que se o casamento for num ambiente interno, isso poderá não ser um problema tão grande. Um pouco menos, mas vai atrapalhar com certeza!

 

[mc4wp_form id=”1058″]

Segundo Erro: Esquecer das necessidades fisiológicas!

No making off, as noivas estão muito ansiosas pelo que vai acontecer.

A ansiedade é tanta, que muitas acabam esquecendo que mesmo sendo o dia mais esperado, ela vai sentir fome, sede e vontade de ir no banheiro.

Certamente que por causa do nervosismo a vontade de comer irá se ausentar e a ansiedade irá contrair os músculos da bexiga e intestino, o que faz que ela não sinta fome ou vontade de ir no banheiro durante o Making Off.

Madrinhas arrumando a noiva

Mas após virá um grande problema!

Depois do inicio da Cerimônia, quando o pico maior de ansiedade passou, ela se vê frente o Celebrante e Convidados – a fome, a sede, e a vontade de ir no banheiro vêm;

E vêm intensificada!

Isso pode transparecer nas fotos, e pior: ela vai tirar tempo dos retratos pós-cerimônia para ir ao banheiro. 

E não se engane, ir ao banheiro com aquele vestido pode levar até 15 minutos – metade do tempo que talvez você vai ter para fazer as fotos.

 

Diga para a noiva: “Antes de pôr o vestido, vá ao banheiro e esvazie-se. Antes de terminar o Making Off, coma algo leve e beba água – mesmo que um pouco forçado. Mas faça isso com moderação, se não o problema do banheiro pode vir a tona de novo! Isso vai te salvar de um desconforto durante a Cerimônia ou Recepção!”

 

 

Continue no Blog:

Terceiro Erro: Separar pouco ou nenhum tempo para retratos do casal

Ás vezes as noivas dizem que separaram 5 ou 10 minutos apenas entre a Cerimônia e a Recepção para fazer as fotos e videos apenas do casal.

Já fotografei casamento que os noivos insistiram em não fazer nenhum retrato individual, e depois se arrependeram muito.

A noiva fez toda uma produção (vestido, maquiagem, acessórios) e talvez demore para seu noivo usar terno outra vez. Tudo foi pensado, e é nesse pequeno período de tempo que vocês tem as que talvez sejam as fotos mais importantes do dia.

Programe com antecedência o tempo para isso, e se for preciso, negocie com ela a distribuição do tempo.

Linda noiva com buquê maravilhoso

Reserve de 30 a 40 minutos para fazermos boas fotos e para o pessoal do video também, assim todos trabalham com boa diversidade e criatividade.

Com certeza ela não vai se arrepender!

Não esqueça de reservar um tempo entre o making off e a saída para a cerimônia para você fazer fotos incríveis dela com o vestido e buquê!

 

E aí, gostou das dicas? Marque suas noivas aqui nos comentários para ela ver essas dicas também!

 

 

Câmeras e Lentes! Os cuidados que ninguém te contou!

As dicas que ninguém te deu sobre cuidados com câmeras e lentes. Fique atento a perigos como clima, fungos, riscos e roubos.

Uma vez fui fazer um trabalho de comercial para uma produtora, e antes de iniciar o serviço meu equipamento não ficou bem engatado em um dos equipamentos, minha principal e mais cara lente caiu no chão, amassou e estragou o foco. Fiquei um mês sem poder usar ela, esperando peças para conserto, e gastei 3,5x o que ganhei naquele serviço para fazer a manutenção. Foi trágico!

Gastar tanto dinheiro com equipamento fotográfico e depois danificar ele por falta de cuidado seria trágico. Com certeza você deseja conservar pelo maior tempo possível seus equipamentos, por isso separei algumas dicas que ninguém te conta sobre como cuidar bem de seus equipamentos.

Cuidado, acima de tudo, com QUEDAS!

A maior causa dos problemas com câmeras e lentes são os impactos físicos, como quedas e batidas. Inclusive as bolsas próprias para fotografia já vem com uma espuma anti-impacto, para proteger seu equipamento o máximo possível.

Claro que boas câmeras, principalmente as profissionais são resistentes. Por exemplo, a Canon tem duas câmeras que são muito forte, com corpo em magnésio, que são muito resistentes a quedas e temperaturas, e seladas contra água.(Canon 1Dx e 7D Mark2). Mas seu valor é mais alto que as semelhantes sem essa proteção extra.

Para evitar isso, quando a gente compra a câmera já vem uma alça que podemos pendurar no pescoço. Algumas menores prende no pulso também. Para quem já é profissional, a escolha mais pedida são as alças e cintos. Mas quem avisa amigo é: compre as melhores e mais caras, e se certifique da proteção. Já tive problema com cintos frágeis, não economize com isso.

spiderpro.jpg
Foto: Spider Holster

Outra coisa que ajuda na proteção é o para-sol. Seu objetivo é outro, mas se a câmera cair e você tiver sorte de ser de frente, quem vai quebrar é ele e não sua preciosa lente (ou pior ainda, o vidro da lente)

[mc4wp_form id=”1058″]

 

Cuidados com elementos da natureza

Água, areia, poeira, calor. Esses são alguns dos perigos para seu equipamento. Se possível, invista em câmeras e lentes seladas contra água. Elas não serão a prova d’água, mas se você pegar uma chuva fará muita diferença. Outro perigo é quando fotografamos na praia. Eu prefiro levar duas câmeras e apenas duas lentes e não trocar na praia, pois a combinação de vento com areia não é tão legal para a câmera quando a gente troca de lente.

Também, armazenar ela em um lugar muito quente pode derreter componentes da câmera. Tenho um amigo que passou por isso, derreteu dois botões de sua câmera. Ele guardava em um local muito próximo de uma lâmpada.

Cuidados com riscos

Riscar sua lente seria trágico, por isso uma opção é usar um filtro UV. Mas se optar por usá-lo, compre um de boa qualidade (em outras palavras, o mais caro)
Eu não gosto de usar ele porquê embaça entre ele e a lente em locais muito quentes ou úmidos, o que é muito comum onde moro. Mas, dependendo do seu uso eu recomendo sim.

 

Continue no Blog:

Cuidados com fungos

Essa é uma das maiores preocupações dos fotógrafos, os temidos fungos. Se sua lente pegar fungo, provavelmente você não vai conseguir arrumar ela. E isso não é incomum de acontecer.
Mas para gente saber como se proteger dos fungos, precisamos entender como eles se criam. Basicamente, para viver os fungos precisam de escuridão e umidade. Em um local claro e seco eles não se proliferam. Ou seja, deixar dentro da bolsa num período chuvoso poderá trazer problemas. Talvez você possa usar uma caixa com ventilação e entradas de luz. Também usar algum tipo de anti-mofo, desses que sugam a umidade, me ajudou no início.

Hoje eu tenho um cofre chaveado com revestimento em madeira impermeabilizada e luz incandescente, pois ela é quente. Nunca tive problemas com fungo, e sugiro o mesmo para você. Gastei aproximadamente R$500 para confeccionar ele; e o melhor é que ele é parafusado na parede, o que traz mais segurança.

Lente sendo segurada

E ainda mais, cuidado com roubos!

Claro que de nada adianta todos os cuidados acima descrito se alguém furtar ou assaltar você. Todo cuidado é pouco!

Você já percebeu quanto dinheiro tem dentro de uma mochila fotográfica? Os assaltantes também. E é muito fácil de sair com uma na multidão sem ser percebido – é apenas uma mochila.

Por isso, tome extra cuidado. Se necessário, leve gente extra em sua equipe para um ensaio fotográfico ou evento. Cinco ou seis pessoas envolvidas em uma sessão de fotos inibe mais os assaltantes que duas ou três. Talvez, locais que cobram entrada ou para fazer fotos tem segurança extra e pode valer a pena.

Cuidado na saída de eventos e em onde você deixa sua mochila enquanto não está usando.

 

Bônus: Seguros fotográficos!

Já pensou em procurar alguma corretora de seguros? Algumas seguradoras (como a Porto Seguros) oferecem planos de cobertura muito bons para fotógrafos. Você inclusive pode incluir coisas como cartões de memória e baterias.

Pagando uma taxinha extra, você pode se segurar contra quedas e panes elétricas, e pode estender a cobertura internacionalmente. Geralmente o valor desses seguros custam entre 5% a 8% do seu equipamento.

Tem algum outro medo? Ou quer compartilhar alguma dica? Deixe aqui embaixo seu comentário.

 

Compartilhe com seus amigos esse post clicando nos botões abaixo.

3 Coisas Que Podem Te Fazer Fracassar – e Como Evitá-las

Fotógrafo conta como percebeu erros em si mesmo e em outros e o que fez para mudar. Evite esses três perigos e tenha sucesso!

Veja como eu percebei meus erros e o que fiz para mudar

Por muito tempo minha carreira evoluía – ganhava mais reconhecimento, mais orçamentos, mais curtidas. Foi uma época muito boa. Então minha carreira estagnou. Parei de crescer, parei de evoluir, e discretamente comecei a regredir.

Como resultado, culpei equipamentos. Culpei outros. Também culpei o clima.

Mas parei, pensei, culpei a mim mesmo. Eu fui o responsável por ela evoluir, eu fui o responsável por ela estagnar, e consequentemente, tenho de ser o responsável por fazer ela decolar.

Com o tempo percebi três coisas naturais que fazem qualquer um perder boas imagens, e reparei que a grande diferença entre os fotógrafos de renome e nós, meros mortais, eram isso. Espero que vocês concordem com o que considero importante para boas imagens.

São apenas 3 coisas? Não. Existem muitos motivos, mas eu vejo que, se fizer bem essas 3, você vai ter boas imagens.

 

[mc4wp_form id=”1058″]

 

1. Técnica

Isso mesmo, técnica. Não é equipamento. Não é fotografar ao ar livre no Caribe. Com boas técnicas a esquina de sua casa será melhor que o Caribe sem boas técnicas.

O que vale mais, técnica ou equipamentos?

Por muito tempo eu diria: Sem um bom equipamento não adiantam boas técnicas”. É verdade que se você é profissional, precisa de equipamentos profissionais – se não você é amador, e amador não pode cobrar para fazer coisas de amador.

 

Quem ganha dinheiro com fotografia como profissão tem que ser profissional e fazer coisas como profissional, inclusive ter equipamentos profissionais.

 

Mas primeiro de tudo,

VOCÊ PRECISA ESTUDAR!

Muitos reclamam das limitações de seus equipamentos, mas não sabem usar a luz. Aprenda a usar a luz, que até com um celular você terá boas imagens. Não somente técnicas de iluminação, mas você precisa dominar todos os tipos de técnicas.

Edição, marketing, vendas, direção. Leia, estude, pratique, vá a congressos, marque brainstorming com seus amigos, peça opinião de leigos.

Não estou dizendo que você precisa fazer técnicas super compostas, fazer um Brenzier em todas as suas imagens, ou entregar imagens 360º para seus clientes.

Mas faz uma dupla exposição, faz uma foto das alianças com bokeh, entrega também um Light Painting das fotos da boate, brinca com o flash em multi, faz um flare proposital, até uma foto tremida ou com grão (quando se sabe usar) fica bacana. Mas certamente, isso é a cereja do bolo.

Entregue principalmente imagens nítidas, bem compostas, claras, com sorriso bonito e que as pessoas se sintam bonitas.

Eu li na internet esses dias os fotógrafos reclamando que tem gente que diz que com iPhone também dá para fazer as mesmas fotos. Meu amigo, se seus clientes e amigos acham que suas imagens dá para fazer até com iPhone, parece que está lhe faltando técnica.

KLARCK, FOTOGRAFIA, WEDDING, CASAMENTO, NOIVAS, LOVE-290.jpg

2. Vergonha e/ou medo

Parece estranho, mas isso te impede de criar boas imagens. Vergonha de pedir, vergonha de propor, vergonha de se expor. Pensa comigo: se tu não te expor, tu acha que teu cliente vai? Entra na água que ele vem na beira. Deita no chão que ele topa se sentar.

Se tu quer ficar paradinho clicando então não trabalhe com casamentos, certamente deverá trabalhar com estúdio.
Mas fotografia de casais e casamento, tu tem que andar, tem que pular, tem que fazer eles rirem.

Às vezes as poses ficam forçadas, o casal não sorri – a culpa é deles? Eles que não sabem sorrir? Quem tem que saber cortar cabelo é cabeleireiro, quem tem que saber pintar parede é pintor, quem tem que saber concertar carro é mecânico, quem tem que saber fazer os outros sorrir é fotógrafo. 90% palhaço, 10% fotógrafo.

Eu falho muito nisso, sou envergonhado, mas tenho que me puxar. Passe energia e receba energia. Se você tiver vergonha de pedir para fotografar naquele lugar que tu quer, não vai ir lá nunca.

Em geral, eu levo meus clientes a 300km mais longe para onde eles querem fazer as fotos. Esses dias a noiva queria fotografar em Porto Alegre, acabamos fotografando em Florianópolis.

Outra noiva queria fotografar em Pelotas, assim fomos parar no Uruguay. Um dia alguma vai topar a ideia de ir para a Europa.

Seja cara de pau, peça, ouse, arrisca, ouça muitos “não”, depois vai ouvir outros “com certeza não”, e alguns “você está maluco?”, mas quando você ouvir um “ué, quem sabe?”, os noivos vão topar e vai valer a pena!

Com o tempo os noivos que estarão sugerindo ideias loucas e incríveis, e vai valer a pena!

Não tenha vergonha também de repetir imagens, de admitir que errou, de dizer para o cliente que você não lembra da pose e quer olhar no celular para lembrar. Ele entende, ele não se ofende. No final ele nem lembrará disso.

KLARCK, FOTOGRAFIA, WEDDING, CASAMENTO, NOIVAS, LOVE-92.jpg

3. Preguiça

Esse fator é decisivo: é a preguiça que difere os sucedidos dos fracassados. Enquanto os outros estiverem trabalhando, você tem que estar trabalhando. Enquanto os outros estiverem descansando, você tem que estar trabalhando. Enquanto os outros estiverem dormindo, você tem que estar trabalhando.

Vai demorar, mas consequentemente o resultado vem.

Você pode substituir a palavra “trabalhar” na frase acima por “estudar”, vai dar o mesmo resultado lá na frente. Ouvi uma frase que me marcou muito de um palestrante mexicano, que dizia algo parecido com “Quem não trabalha aos 20, e não fica rico aos 30, quebra a cara aos 40”.

 

Continue no Blog:

 

Mas a preguiça que eu falo não é só de se dedicar. É preguiça de subir na árvore, é preguiça de se sujar e ter de limpar, é preguiça de se molhar, é preguiça de trocar a 35mm pela 85mm ou pela 135mm e ter que caminhar mais longe para fazer a mesma imagem. Mas como resultado, o desfoque da 135mm acaba ficando bem mais legal que o da 35mm.

Fotografia de Casamento

Para mim, essas 3 coisas me atrapalharam por muito tempo, e a segunda acredito que ainda me acompanhará por muito tempo. Mas eu luto contra, porque eu quero ir longe e tudo depende de mim.

E você? O que acha que impede você e/ou outros de ir para frente em sua carreira? Comente aqui embaixo!